Terça-feira, 1 de Dezembro de 2009
Andropausa – Mitos: Erecção e Próstata / Orgasmo e Comprimento do Pénis

No livro “Disfunções Sexuais”, da autoria de Pedro Nobre, com prefácio de Allen Gomes, editado pela Climepsi Editores, são lembrados vários mitos associados ao macho latino. Por exemplo, aquele que se um homem não consegue manter relações sexuais com frequência já não é um homem, ou se um homem faz sexo mas não chega ao orgasmo, a relação não é boa…

Esses mitos existem há muitos séculos e condicionam muito a cabeça das pessoas...
 
Allen Gomes (psiquiatra): Pois condicionam. E os comprimidos são auxiliares fantásticos mas não mudam atitudes. E o que se vê muito bem no livro do Pedro Nobre – que tem estudado isso de uma maneira muito minuciosa, há vários anos -, é que as crenças, e os esquemas cognitivos que se elaboram relativamente á sexualidade, fazem com que seja muito difícil ultrapassar estes problemas. Esses esquemas estão profundamente entranhados na sua personalidade.
 
Rodrigues Guedes de Carvalho (urologista): Uma das crenças, por exemplo, é a relação entre a erecção e a próstata, o que é absolutamente infame que aconteça.
 
Há muito essa ideia, não é?
 
Rodrigues Guedes de Carvalho (urologista): Os doentes não querem ser operados com medo de perderem a erecção. E depois tomam medicamentos para reduzir o tamanho da próstata, que não precisa de ser reduzido, e tomam medicamentos que têm hormonas femininas e ficam sem erecção.
As pessoas têm que começar a perceber que a próstata não tem nada a ver com a erecção. O problema da erecção é basicamente vascular.
 
Outra coisa que as pessoas não sabem é que se pode ter um orgasmo intensíssimo sem metade do pénis. Nós fazemos amputações do pénis e os homens têm na mesma o orgasmo. Porquê? Porque o orgasmo é uma contracção violenta da parede abdominal, da face interna das coxas e ânus.
 
Todos nós já tivemos orgasmos “fraquitos” e grandes orgasmos. Isso depende do estado de relaxamento. E é essa contracção violenta que vai dar o maior prazer. Ora se a pessoa já está semi-contraído, não consegue.
 
E esses homens conseguem?
 
Rodrigues Guedes de Carvalho (urologista): Conseguem ter orgasmo, apesar de terem meio pénis. E as mulheres estão satisfeitas com aquele tipo de relação.
 
Isto tem muito mais a ver do que, por exemplo, o comprimento do pénis; um grande mito entre os miúdos, e até entre os homens, que comparam tamanhos nos balneários.
E ainda por cima não sabem que o pénis em actividade não tem nada a ver com o pénis sem estar em actividade.
 
Um indivíduo pode ter um pénis pequenino e depois na relação tem um pénis enorme. E também pode ter um pénis enorme e depois, na relação sexual, não passar daquele tamanho. São tudo mitos que existem e que é preciso desmistificar.
 
“O Pénis – da Masculinidade ao Órgão Masculino”, da autoria de Nuno Monteiro Pereira, editado pela Lidel, também com prefácio do Dr. Allen Gomes; para quem quiser abordar estas questões com maior profundidade. É um livro extremamente relevante no que toca à masculinidade, ao longo da história e das várias civilizações.


publicado por servicodesaude às 08:23
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28