Terça-feira, 1 de Dezembro de 2009
Andropausa – Disfunção Eréctil após Prostatectomia: importância da masturbação

Rodrigo Guedes de Carvalho (urologista): Sobre o ponto de vista fisiológico hoje está mais do que estudado: quando se opera indivíduos por via de uma prostactectomia radical - que ficam com disfunção eréctil -, deve-se começar a estimulação vasogénea para não haver atrofia peniana.

 
E às vezes muitos médicos de família não estão habilitados para dizer a um indivíduo que tem uma disfunção eréctil que, se a mantiverem durante muito tempo, com os seus anti-depressivos, que deve consultar alguém que lhe receite terapias fisiatricas ou injecções intra-cavernosas  (com determinado tipo de substâncias), para que o indivíduo mantenha a sua actividade sexual.
A principal razão é que quando ele deixar de ter o tal problema psicológico, já não terá a “máquina” a funcionar.
 
Eduardo Mendes (médico de família): Isso prende-se com algo que é tabu nos homens e nas mulheres, mas não nos adolescentes, que é a masturbação.
A masturbação é um acto relativamente normal nos adolescentes e perde um pouco a sua intensidade e frequência na idade adulta, porque há uma vida sexual activa.
 
Se houver uma vida sexual activa…
 
Eduardo Mendes (médico de família): Se colocarmos a questão em termos de média. Nestas situações em que é aconselhável um tratamento fisiátrico, a recomendação pode ser exactamente essa.
Muitas vezes estes doentes têm disfunções erécteis e quando se masturbam isso desaparece. Passam a ter mais confiança e começam a perceber que estão funcionais. É importante dizer aos doentes para experimentarem.
 
E não terem nenhuma culpabilidade…
 
Allen Gomes (psiquiatra): Relativamente aquele doente que tinha um problema de diabetes e de hipertensão, que é problemas frequentes, há uma coisa importante que ele tem que fazer; que é não desistir. Não aceitar isso como uma fatalidade.
 
Como o Dr. Rodrigo Guedes de Carvalho disse, relativamente ao homem que teve um traumatismo peniano, há soluções. Não quer dizer que sejam ideais, mas são soluções possíveis, se a pessoa não desistir e se tiver uma companheira que o acompanha.
 
Nós hoje temos, tecnicamente, uma perspectiva multidisciplinar e podemos ajudar a maioria dos homens que têm problemas.
 
Rodrigo Guedes de Carvalho (urologista): Há algo a dizer relativamente ao desejo das mulheres. Tive um caso dramático que foi um senhor com disfunção eréctil que quis oferecer à sua esposa por comemoração dos 25 anos do casal, a colocação de uma prótese peniana e então fez tudo às escondidas e sabem o que deu? Divórcio.
Não houve discussão entre eles e à mulher não lhe interessava nada aquilo. O marido foi gastar dinheiro numa coisa que não lhe dava prazer nenhum. Não houve conversa prévia e tudo isto baseia-se essencialmente no diálogo.
 


publicado por servicodesaude às 14:41
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28