Terça-feira, 15 de Dezembro de 2009
Obesidade Infantil - Hábitos alimentares e o papel das famílias e da escola

“Faz sentido falar em “obesidades”, já que há indivíduos que têm uma maior susceptibilidade para engordarem e, outros, que não tendo nenhum factor de risco específico, também engordam, apenas devido a factores comportamentais”, afirma Carla Rego, doutorada na área da obesidade pediátrica. E adianta que “a susceptibilidade genética não é facilmente definível”.

 
Segundo Eduardo Mendes, médico de família, “a obesidade é o resultado da sociedade em que vivemos e da forma como produzimos os alimentos”, logo,” tem que ser enquadrada enquanto questão civilizacional”.
 
“Hoje, as famílias facilitam muito em termos alimentares e os miúdos são sujeitos a uma enorme pressão, visível no período concedido pelas televisões à publicidade de produtos alimentares”, reflecte o médico, não deixando de chamar atenção para o facto de nas cantinas escolares as ementas ainda incluírem fritos em excesso, com demasiada gordura e calorias.


publicado por servicodesaude às 19:46
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28