Terça-feira, 2 de Fevereiro de 2010
Sexualidade Feminina - Desejo e Excitação: “A Resposta Sexual das Mulheres – Um Estudo Português”

“As mulheres com prática da masturbação desde a adolescência têm uma possibilidade acrescida de alcançar o orgasmo com maior facilidade. Uma amostra com 3700 mulheres demonstrou isso e que tinham uma maior excitação sexual”, explica Ana Alexandra Carvalheira, psicóloga e autora de “A Resposta Sexual das Mulheres – Um Estudo Português”.

 
O estudo baseou-se numa amostragem de 3687 mulheres. A autora não considera que tenha o valor de amostragem porque foram recrutadas apenas mulheres que utilizam a Internet.
 
Entre as conclusões a que chegou salienta o facto de haver uma percentagem importante de mulheres que inicia a relação sexual sem ter vontade. “A vontade surge depois de a relação ter começado”.
 
Relativamente ao desejo, ele é, inquestionavelmente, muito mais flutuante nas mulheres. A diminuição do desejo sexual é a queixa mais frequente.
 
Por outro lado, salienta, “há uma certa sobreposição entre desejo e excitação sexual, que as mulheres têm dificuldade em distinguir”. Isto, apesar de existir a crença de que se deve iniciar a relação sexual quando se tem desejo e quando estão reunidos vários factores: sentirem-se queridas, compreendidas, terem mimos.
 
“Mas também não haver rotina, não estarem cansadas, bem dormidas, bem alimentadas, bem dispostas e com emoções positivas. Só quando estão reunidas um certo número de condições é que estão disponíveis para a actividade sexual”, remata a psicóloga..
 
Allen Gomes acrescenta que as mulheres têm multitarefas e, como tal, distraem-se com mais facilidade e saltam mais de uma tarefa para a outra. Ou seja, sexualmente, distraem-se muito.
 
E explica uma teoria sua: “Qualquer mulher, em qualquer idade e sociedade, tem que ser mais cautelosa porque numa relação sexual, a todos os níveis, a mulher corre riscos que o homem não corre: podem pagar o sexo com a morte – os homens só começaram a pensar nisso agora com o problema da SIDA e mesmo assim as mulheres têm uma maior probabilidade de serem tocadas - , elas é que engravidam, é que fazem o aborto e que têm que parir. E ainda são elas, muitas vezes, que perdem a reputação, porque se falou delas…”.
 
Por outro lado, diz ainda o psiquiatra, “as mulheres também sabem que quanto mais interessante e estimulante o parceiro é, mais riscos corre. Por conseguinte a distracção faz parte da sua defesa. Sabem que se deixam envolver, a certa altura, há um certo ponto sem retorno”.


publicado por servicodesaude às 15:55
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28