Sexta-feira, 2 de Outubro de 2009
Gripe A (H1N1): Inicio da vacinação a 26 de Outubro, com critérios

Até ao final do ano, o Ministério da Saúde espera vacinar um milhão de portugueses contra a gripe A (um terço dos três milhões previstos), incluindo os profissionais de saúde "essenciais" e as grávidas com doenças graves.

De fora ficam, nesta primeira fase, as crianças saudáveis, um dos grupos mais afectados pela gripe A de acordo com os especialistas e a principal diferença em relação às estratégias de outros países.
 
A campanha de vacinação começa no próximo dia 26 de Outubro, com a chegada das primeiras 49 mil doses, mas os utentes só serão vacinados se apresentarem uma declaração do médico assistente que, sob o compromisso de honra, que comprove que a pessoa cumpre os critérios definidos pelo Ministério para cada fase.
 
Como Portugal "vai receber a vacina por tranches" nos próximos meses, foram definidos três grandes grupos de pessoas que devem ser vacinadas à medida que as doses vão chegando. E mesmo dentro dos grupos, há pessoas mais prioritárias do que outras. 
 
As primeiras 49 mil doses serão para os profissionais de saúde e para as grávidas, no segundo e terceiro trimestre com doenças graves, como asma ou diabetes.
Só depois, na segunda semana, serão vacinadas as restantes grávidas. Seguem-se os doentes com "asma moderada a grave".
 
Como as crianças com menos de seis meses não podem ser vacinadas, há instruções para imunizar familiares de bebés doentes.
 
Ainda nesta primeira fase deverão ser vacinados os titulares de órgãos de soberania, como a própria ministra da saúde, Ana Jorge, que usou o seu exemplo para garantir que confia na eficácia e segurança da vacina.
Este grupo inclui também profissionais "que desempenhem funções essenciais" ao País. De acordo com a ministra, cabe às instituições e empresas definir o número restrito destes profissionais.
 
Segundo o Direcção da PSP, por exemplo, os primeiros a ser vacinados na corporação serão os polícias que desempenham funções de atendimento ao público, 16% do total do efectivo definido para imunização.

Só em Janeiro é que deverão começar a ser vacinados os utentes do segundo grupo, que inclui a maior parte dos doentes crónicos, com menos de 65 anos, e outros profissionais de saúde que tenham contacto directo com os doentes.

(Fonte: Diário de Notícias)



publicado por servicodesaude às 18:20
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Terça-feira, 29 de Setembro de 2009
Gripe A (H1N1): Grávidas, doentes crónicos e profissionais de saúde serão os primeiros a ser vacinados

As primeiras doses da vacina contra a gripe A encomendadas por Portugal à farmacêutica GlaxoSmithKline, e que servirão para imunizar três milhões de pessoas, deverão chegar ao País a partir de 12 de Outubro, de forma faseada. A campanha de vacinação só deve ter início em Novembro.

As grávidas serão o "principal grupo prioritário", garantiu ontem o director-geral de Saúde, Francisco George numa sessão pública destinada a esclarecer as empresas sobre a elaboração de planos de contingência contra a gripe A,
Francisco George adiantou ainda que "provavelmente até ao final da semana" será conhecida a lista dos grupos prioritários de risco, que deverá incluir as "empresas consideradas vitais para o País".
A vacina irá ser administrada em duas doses, com intervalo de três semanas, primeiro aos profissionais da saúde, doentes crónicos e grávidas.
As crianças até seis meses de idade também serão imunizadas, com metade da dose destinada aos adultos, à semelhança do que acontece com a gripe sazonal.
Em Portugal já se registou duas mortes de pacientes com gripe A, ambas na última semana.


publicado por servicodesaude às 20:28
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Domingo, 27 de Setembro de 2009
Gripe A (H1N1): 2ª vítima mortal concorria a presidente de câmara - 27 Setembro

Advogado saudável não resiste a pneumonia e falência de órgãos

O candidato à Câmara de Ourém pelo CDS-PP, o advogado Diogo Castelino Alvim, 49 anos, é a segunda vítima mortal do vírus da gripe A (H1N1). Morreu ao final da manhã de ontem na Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital Curry Cabral, em Lisboa, onde permanecia em estado muito grave desde 25 de Agosto, noticiou a agência Lusa.
 
De acordo com Conceição Loureiro, directora clínica do HCC, a causa de morte foi "pneumonia pelo vírus H1N1, com falência multiorgânica". "Desde o primeiro dia que este doente mantinha um prognóstico muito reservado, estando ventilado com suporte hemodinâmico e sujeito a depuração renal, tendo o seu quadro clínico registado um agravamento claro nos últimos dias", acrescentou.
 
Diogo Alvim era uma pessoa saudável e não tinha antecedentes de doença, apesar de ser fumador. A contaminação do vírus da gripe A ocorreu quando se encontrava de férias numa região balnear. 'Não foi no Algarve', esclareceu o director da Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) do Hospital Curry Cabral, Luís Mourão, acrescentando que a família do doente não foi contaminada.

 

 

Perante a segunda morte no País devido à infecção pelo vírus H1N1, a ministra da Saúde, Ana Jorge, apelou à acalmia da população e disse serem esperados mais óbitos. 'A ocorrência de mortes devido à doença não significa que haja alterações no quadro da situação epidémica que se vive em Portugal.'
Ana Jorge sublinhou que a gripe continua a apresentar padrões clínicos correspondentes aos inicialmente previstos. 'As medidas adoptadas até agora têm demonstrado que continuam a ser adequadas e vão manter-se.'
 
A outra doente internada com H1N1 na UCI do Curry Cabral, de 32 anos, registou uma franca melhoria nos últimos quatro dias. Já a doente a quem foi realizada cesariana para salvar o bebé está internada desde 18 de Agosto com um quadro de insuficiência respiratória grave e teve ventilação mecânica até há quatro dias.


publicado por servicodesaude às 19:07
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Terça-feira, 22 de Setembro de 2009
Gripe A (H1N1) - DGS começou o envio de mensagens para os telemóveis

Conforme é do conhecimento público, a Direcção‐Geral da Saúde, em parceria com as Operadoras de telecomunicações móveis nacionais, iniciou uma campanha de informação para prevenção da gripe A através do envio de mensagens SMS (short message service), cujo conteúdo é da exclusiva responsabilidade do Director‐Geral da Saúde.
 

Neste contexto foi já iniciado o envio da seguinte mensagem: "Com sintomas de gripe fique em casa e ligue 808 24 24 24 ou contacte o seu médico. Reforce as medidas de higiene. Evite contagiar outros. Consulte www.dgs.pt".
 

Neste âmbito informa‐se:
1) A presente campanha foi objecto de autorização prévia da Comissão Nacional de Protecção de Dados;
2) A DGS não tem acesso a dados pessoais dos destinatários das mensagens;
3) O envio dos SMS é efectuado directamente pelas operadoras para os seus clientes em nome da DGS, não existindo, portanto, acesso a quaisquer dados pessoais, incluindo números de telefone.

(Fonte:  Direcção‐Geral da Saúde)



publicado por servicodesaude às 01:54
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28